sábado, 1 de maio de 2010


Eu quero você como se fosse a última

Gota de água do Sahara.

Preciso de você como preciso do ar

Para respirar.

Mesmo que eu quisesse morrer

Eu respiraria, (me falta coragem para

Deixar de viver)

Mesmo que eu não quisesse te amar

Eu te amaria,

Pois deixar de amar a ti é impossível

Por que não consigo.

Ai sim seria suicídio,

Por que não saberia viver sem te amar

Pois você me ensinou a viver.

E sem você eu morreria

Na escuridão do dia a dia

Sem um remédio para curar a ferida da nostalgia.

Você é tudo que preciso.

Meu porto seguro.

A ferida mais gostosa de sentir.

A dor que me faz ir em frente

Para te encontrar e assim eu poder sarar a ferida.

Pois sua presença é o que faltava,

Junto com o veneno da ausência

Para assim se tornar a cura (mais linda)

Tudo em ti, vida e morte.

Só tu podes fazer o que quiser de mim

Restituir-me para ti, moldar-me a seu modo.

Viver só já não posso, vivo agora só por ti.

Com você no pensamento vou andando por ai.

(01/04/2010. 11h16min. Maria AP. Rosa da Silva,

Per tu amore mio. Che mi ha insegnato ad amare).

Nenhum comentário:

Postar um comentário